Pelos valores de Abril, pelo gosto pela Liberdade, em defesa da Democracia – agora e no futuro – NÃO podemos permitir a criação de um “Museu a Salazar”, com esse ou qualquer outro nome, em Santa Comba Dão.

Pelo aprofundar do conhecimento da história dos 48 anos da ditadura, mas contra a idolatria da figura de um ditador, a APJD subscreve e promove a Petição da URAP dirigida ao Parlamento.

Assine a Petição, para também que os Deputados possam condenar politicamente a construção do dito museu.


28.02.2020

11.154 Assinaturas entregues na AR

A Direcção da URAP (União dos Resistentes Anti-Fascistas Portugueses) e os primeiros signatários da Petição Contra o Museu Salazar – entre os quais se contam o presidente honorário da APJD, Dr. Levy Baptista e a presidente da Direcção, Dra. Madalena Santos -, entregaram, no dia 28 de Fevereiro, na Assembleia da República a petição com 11.154 assinaturas de Democratas e Antifascistas que tomaram posição nesta matéria.

A petição será agora avaliada e distribuída a um relator, seguindo-se ainda uma audição aos peticionários e, posteriormente, objecto de discussão e concretização de uma iniciativa parlamentar.

A APJD continua empenhada no esclarecimento dos crimes perpetrados durante o período do Fascismo no Estado Novo e, em particular, do papel do ditador Salazar.

Diz não ao Fascismo!


14.11.2019

400 assinaturas num dia

Numa acção desenvolvida pela URAP em Viseu no passado dia 11 foram recolhidas mais 400 assinaturas para a Petição contra a criação de um “ponto de peregrinação no Vimieiro”.

assinou?


31.10.2019

Preso Político, Fernando Assis Pacheco

NÃO ao «Museu a Salazar». Assina a Petição.

1
Quiseram pôr-me inteiro numa ficha. 
O dia e a noite são iguais por dentro.
Não há papel que conte a minha vida
mais que estes versos de punhal à cinta.

A barba cresce, e cresce a voz armada
descendo pelos muros tão tranquila;
tão tranquila que já nem desespera
de ser apenas voz, não uma guerra.
  
Quiseram pôr-me inteiro numa ficha.
Não há papel que conte a minha vida.
Mais que estes versos, esta mão estendida
por sobre os muros só de medo e pedra.
 
2
Quando saíres, amigo, não me esqueças.
Fico à espera da tua novidade.
Olha bem que farás da liberdade:
quando saíres, amigo, não me esqueças.
  
Quero mais fazimento que promessas.
São de prata os enganos da cidade
com que outros sujeitam a vontade.
Não me esqueças, amigo, não me esqueças.

Fernando Assis Pacheco, "Preso Político" (1966), in 'Lote de Salvados'

28.10.2019

Profecia fácil: a actualidade de José Gomes Ferreira

21 de Setembro de 1968

Prevejo (profecia fácil) que os reaccionários tentarão manter o mito Salazar através dos tempos. Isto é: dar-lhe a autoridade da morte para impor a ditadura do medíocre que é uma das constantes da história do povo português, poucas vezes vencida e sempre por curtos períodos.

Nesse sentido vão meter nas cabeças das crianças que ele saneou as finanças (!), reformou o exército, abriu estradas, fabricou pontes, etc., etc., para esgotar todos os sonhos portugueses.

Ó homens do futuro: aturem-no morto que nós aturámo-lo vivo – o que foi mais humilhante. E quanto ao resto (tudo o que digam dele no Futuro) é mentira, é mentira, é mentira, é mentira! É MENTIRA!

José Gomes Ferreira, Dias Comuns, V – Continuação do Sol, D. Quixote, pp. 208.

NÃO ao «Museu a Salazar». Assina a Petição.


17.10.2019

Pedro Tadeu: O “museu Salazar”, afinal, vai para a frente?

«Recebo, entretanto, um aviso: há na internet uma nova petição da URAP (União dos Resistentes Antifascistas Portugueses) especificamente dirigida, ao contrário da primeira, ao Parlamento, para que os deputados tomem uma iniciativa que impeça, de vez, a construção do “Museu Salazar”. Corro a assinar.

Do que estamos a tratar quando discutimos se deve ou não deve haver em Santa Comba Dão um museu constituído, em parte, com o espólio do ditador?» Pode ler aqui todo o artigo de opinião de Pedro Tadeu.


01.10.2019

Petição: Repúdio ao «Museu Salazar»

Está aberta a subscrição a Petição de repúdio e exigência de que se trave e abandone a anunciada criação do «Museu a Salazar», com esse ou outro nome, em Santa Comba Dão.

Porque, em Portugal, o fascismo existiu, foi vencido, mas não morreu, é imperioso não esmorecer a luta.

Fascismo nunca mais!


18.09.2019

Museu de Salazar, Não!

Também por este meio, a APJD dá conta da Nota Informativa para os órgãos de comunicação social com a posição da Associação sobre a intenção de criação do Museu dedicado ao ditador Oliveira de Salazar apelidado de “Centro Interpretativo do Estado Novo”.

A criação, primeiro de um museu, de seu nome Salazar, e depois de um “Centro Interpretativo do Estado Novo”, colide frontalmente com a Constituição da República Portuguesa, que proíbe qualquer tipo de organização ou manifestação fascista. A APJD é frontal e activamente contra qualquer forma de recuperação, branqueamento, normalização ou condescendência da imagem do fascismo.