«O que pensará disso tudo, um(a) sobrevivente do Holocausto?»

“Holocausto nunca mais”, não pode, porém, ser um slogan meramente nominal ou de ocasião.

A história só vale pelo ensinamento que a mesma nos proporciona para dela se tirar o ensinamento para o futuro, rumo à uma convivência de paz e felicidade entre os homens. O ensinamento há-de porém valer erga omnes.

Por isso, a verdadeira homenagem a tudo quanto o Holocausto representa exige que a sua metodologia seja perenemente repudiada por todos nós. O paradoxo da história reside, porém, na circunstância dessa metodologia estar a ser seguida pelo Estado de Israel aviltando o povo palestiniano.

Confira a opinião do associado Bernardo Colaço publicada no jornal Público de 28/05/2021 disponível na secção “A Palavra aos Associados”.

«Prazer, Camaradas!» – Um outro olhar sobre o 25 de Abril

Estreia no próximo dia 20 o novo documentário “Prazer, Camaradas!”, de José Filipe Costa, que recria as memórias de portugueses e estrangeiros que vieram para Portugal no pós-revolução para trabalharem nas cooperativas e herdades ocupadas.

O argumento surgiu de um conjunto de relatos orais, textos literários e diários da época de estrangeiros e portugueses ex-exilados que, além de ajudarem nos trabalhos agrícolas, observavam e registavam o que viam e viviam com os portugueses.

«Eram uma espécie de antropólogos improvisados que se encantavam e decepcionavam com o que viam, transcrevendo os poemas e os ditos dos camponeses, assinalando as distâncias pudicas entre os corpos nos bailes tradicionais ou descobrindo o trágico destino dos solteirões atingidos pela guerra colonial», refere o realizador.

Pode espreitar aqui o trailer deste outro olhar sobre o 25 de Abril.