No dia 24 de Janeiro de 1977, em Atocha, Madrid, foram assassinados, no seu escritório, quatro advogados que se destacavam pela sua actuação na defesa dos trabalhadores e dos seus sindicatos.

Por iniciativa da ELDH – Associação Europeia de Advogados pela Democracia e Direitos Humanos, filiada na Associação Internacional de Juristas Democratas, desde o ano de 2010 que tal data é assinalada como o «Dia do Advogado em Perigo».

Em cada ano é escolhido um país onde se verifique que a profissão de Advogado se encontra em perigo pelo mero facto de ser exercida, sendo organizado um protesto em frente às embaixadas de tal país.

Em 2022, pela segunda vez, o «Dia do Advogado em Perigo» foca-se na Colômbia, onde advogados continuam a ser perseguidos e impedidos de livremente e em segurança exercer a sua profissão.

O relatório sobre a situação dos advogados na Colômbia encontra-se disponível nas versões inglesa e castelhana.