Em nota, Dilma Rousseff aponta que o Supremo Tribunal Federal lhe negou o direito de fazer a defesa das alegações no julgamento do impeachment, promovido em sessão virtual, sem dar oportunidade de manifestação do advogado. No documento, Dilma garante ter sido «vítima de um golpe parlamentar baseado em um impeachment fraudulento».